Teatro / TACCO

Em 2011 renasce o TACCO – Teatro Amador do CCO cujo encenador e ator Afonso Carvalho tem dinamizado e levado à cena diversas e interessantes peças de teatro.

O grupo de teatro TACCO constituído por 10 elementos tem apresentado ao público diversos trabalhos. Neste formato atual, o TACCO estreou-se no Auditório Municipal com a peça “Naufrágio do S. Rafael”, por ocasião do seu centenário, a convite da comissão organizadora desse evento (Rancho do Monte).

Seguiram-se outras peças, como a “Mágica Fábrica dos Alimentos” em parceria com a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Este trabalho, destinado ao público mais pequeno, apresentou-se em várias escolas e colégios.

“ ETC…e outras conversas menores “ da autoria do Prof. Agostinho Pinho foi a representação que se seguiu. Esta peça foi apresentada várias vezes em Vila do Conde no âmbito do Intercâmbio Cultural Concelhio.

Participação de vários elementos do TACCO no elenco de uma produção para a RTP – programa divertido sobre história de Portugal, cujo titulo é “Conta-me história” gravado na Nau de Vila do Conde. Apresentação do programa a cargo de Luís Filipe Borges e Prof. Fernando Casqueira.

Depois deste trabalho, o TACCO apresentou, em variados locais, a peça “Médico à força” de Moliére. Em junho de 2013, encenou o conto “A Lurdinhas” de Joaquim Pacheco Neves. Este trabalho teve a sua estreia na cerimónia de entrega do Prémio Literário Joaquim Pacheco Neves , ano letivo 2012/2013, atribuído pelo Circulo Católico de Operários.

No dia 16 de novembro de 2013, estreou, no Auditório do CCO com casa cheia, a peça “Pancada da Vida”, da autoria da escritora portuense Aida Duarte.

No dia 21 de março de 2014, no Auditório Municipal de Vila do Conde, o grupo de teatro TACCO estreou a peça “A Birra do Morto”. Trata-se de uma comédia teatral, baseada num texto de Vicente Sanches com encenação de Afonso Carvalho.

Em março de 2015, estreou a peça “A Herança de Faustino Miséria” da autoria de Óscar Fernandes. Com esta comédia teatral conquistaram, em março de 2016, no Festival Internacional CALE-se (Vila Nova de Gaia) o 2º lugar do Prémio do Público e Helena Santos e Carolina Flores Lopes obtiveram o 2º e 3º lugar, respetivamente, na categoria de melhores atrizes (Prémio do Júri).

Em abril de 2016, apresentaram-se na ilha da Graciosa, Açores, com “A Herança de Faustino Miséria”, no âmbito de um intercâmbio com o Grupo de Teatro “A Semente”. Em outubro de 2016, terão como destino a ilha da Madeira, onde levarão a “Pancada da Vida”.

Ao longo destes anos, o TACCO já teve o privilégio de subir ao palco de várias salas em diferentes localidades do país como Porto, Espinho, Maia, Santa Maria da Feira, Lousã, Pampilhosa da Serra, Ovar, Trofa, Leça da Palmeira, Vila Nova de Cerveira, entre outras.

O TACCO é constituído pelos seguintes elementos: Afonso Carvalho, Helena Santos, Paula Ramos, António Ramalho, Vítor Rebelo, Nuno Roldão, Daniela Carvalho, Bárbara José, Afonso Ferreira, Cláudia Valente, Domingos Almeida, Ana Almeida e Carolina Flores Lopes.

  • medico-a-forca
  • lurdinhas
  • pancada-da-vida